ESTRELAS PORNO TRISTES, ACROBATAS DE VARÃO, HOMENS DE MEIA IDADE BARRIGUDOS E SOPEIRAS DE ARRASTO.

sep

Pois é, fui, por fortúnio ou infortúnio do destino, trabalhar umas horas para a Eros Porto junto com o parceiro Academia de Vénus. Uma tarde de sábado a entrar pela Exponor adentro, rodeada por um mar de gente que parecia ter vindo dos arredores do Porto (aquele Grande Porto com patine empresário-rural) e de mala rosa na mão para montar um stand!

Sempre me pareceram um desconsolo feiras com os stands brancos montados, por isso não estranhem o meu estranhamento a luzes e paredes de placar brancas, onde esperava um pouco mais de decoração e glamour à volta de tanto (mau) sexo. Corridos todos os corredores fui para o stand que me competia, onde guardei a mala, adiei a entrada ao trabalho e escapei para uma voltinha.
Primeira paragem, as estrelas porno mais próximas, francesas, simpáticas, e que embora não tivessem grande pinta e um ar um pouco estragado ensinaram as duas primeiras preciosas lições:

1.como se faz uma boa pegada de mão na anca. Dei por mim a ter a minha mão mais calientemente reposicionada na anca da rapariga para a fotografia, com um aperta o corpo ao meu encontro que só faltava dizer “oh, si, assi carino”;

2.como tramar um possível marido mandando-o para a prisão. Mudo-me para França, torno-me estrela porno, passo dinheiro para a conta dele e faço uma denúncia anónima para investigação. Implacavelmente vai ser acusado de proxenetismo através das leis de protecção a trabalhadoras na indústria do sexo.

Segue-se mais uma voltinha, mobiliário sexual que eram apenas uns sofazinhos que cada vez que alguém se deitava via-se a cuequinha; um show de strip com um casal arrastado do público, cuja moça estava preparada para estar em palco, loira, corpinho bem jeitoso e um soutien sem alças, e preparada também para ver o seu rapaz (com ar de tratador de piscinas) ser deitado ao chão e roçado por uma profissional do assunto (pontos a favor para o abrir de pernas da senhora no varão).

Muitas lojinhas de produtos (tudo concorrentes, porque eu só tinha uma mesinha com a minha mala, mas garantia um brilharete), um ou dois barzinhos, palcos com espectáculos a aguardar… No fundo, tudo demasiado calminho para um sábado à tarde.
O Sá Leão andava por lá, deu para aprender que umas algemas clássicas penduradas nas presilhas das calças ficam mesmo giras (vão começar a ver-me com umas por aí, melhor acessório de sempre!).

A condizer com o ambiente, um stand de sandes de leitão que, garantiu-me o senhor, estavam a sair sem descanso.
E, txarammm txaraaammm, encontrar a Erica Fontes, a nossa galardoada actriz porno, que além de lindíssima, e com uma pinta de rapariga de porta ao lado, é super acessível e simpática e mesmo muito ocupada se desdobrou em delicadeza para me fornecer uns quantos autógrafos para trazer aos homens de cá de casa e aos amigos (e digo-vos já tinha tentado o mesmo com a Cicciolina há uns anos e a antipatia dela riscou-a da minha lista de gente com quem é aprazível contactar.).

Também lá estavam os experts em body painting e graffiti BS Art, de Barcelona, que tinham o único sector bonito e com cor da feira.
E já que falamos em B, não podemos esquecer o stand representante de BDSM, com a dominatrix Ama Monica, que encarnava um papel bem distante quer fora, quer em palco, e trazia um vestido muito esquisito de Dama antiga (branquinho, com flores….!!!!) para um dos espectáculos, e um submisso com ar franzino e triste que levou com cordas e cera quente em cima a torto e a direito.

Quanto a workshops e palestras não vi nada… e sexo ao vivo tinha que se pagar bilhete e entrar dentro dos deprimentes stands branquinhos… não sei se por uma questão de rentabilização ou para não subir o iva do Salão todo (http://www.publico.pt/sociedade/noticia/tribunal-decreta-que-espectaculos-eroticos-sao-artisticos-e-devem-ter-iva-a-05-1579935).

Depois de ter entrado umas horinhas ao serviço, a explicar o que era a Academia de Vénus a quem passava, e já mortinha por ir embora, arrumei a malinha e passei por um stand onde uma miúda muita gira e estrelaça porno (se ainda não for grande, vai ser), me raptou, perguntou o que trazia na mala e depois de breve demonstração, me deixou (com um ar bastante satisfeito), por lhe blingblings (pozinhos brilhantes comestíveis) da barriga ao pescoço, passando pelas belas maminhas! Atentos a este nome, a espanholita promete: Carolina Abril!

De fugida escapei-me pelos vários corredores da Exponor, para ter uma das piores experiências da minha vida, carros de alta cilindrada com homens barrigudos dentro a piropearem qualquer rabo de saias que passasse (como tenho rabo e estava de saia, tramei-me…). Passado o desconforto, e chegada ao carro, a única opinião formada foi, não… NÃO, ISTO NÃO É A MINHA ONDA DE PORNO! (talvez eu goste de coisas mais kinky).

Texto: Carmo Pereira