A IDIOT MAG ESTE MÊS DECIDIU VISITAR O ESTUDIO DOS VISUAL KITCHEN, ONDE SE COZINHA DO MELHOR WEBDESIGN QUE SE PODE ENCONTRAR! SE EXISTISSEM ESTRELAS MICHELLIN PARA O WEBDESIGN, JÁ TINHAM UMAS QUANTAS. FOMOS ATÉ SANTA CATARINA COMER UMAS RABANADAS COM O FREDERICO ALMEIDA, FICAM AQUI O REGISTO DESTA ANIMADA CONVERSA:

web_design_um
Site “Walk & Talk”

Idiot: Como surge a Visual Kitchen? E o nome? Devem ser “bons garfos”.
Visual Kitchen: A agência surgiu em 2009, quando eu e o Tiago Braga nos juntamos para conversar sobre alguns projectos e planos para o futuro. A principio iria ser uma produtora, mas cedo percebemos que uma agência de comunicação era o rumo a seguir. Já o nome, surgiu em tom de brincadeira numa conversa de café, não deu azia e decidimos apostar nesse conceito. Escusado será dizer que passamos o dia em trocadilhos culinários, “Bota-me ai o olho ao pdf que está quase pronto!” ou “Esta cor está um bocado insossa”.

Idiot: Sabemos que a vossa cozinha tem vários cozinheiros, como funciona a vossa VK?
Visual Kitchen: A VK conta já com uma equipa excepcional, sempre em crescimento. Todos os nossos projectos nascem de um trabalho de equipa, onde o programador não se limita só ao código, e o designer não se limita só à estética. Percebemos muito cedo no nosso processo que o contributo de cada um é crucial e que os projectos ganham uma dimensão excepcional quando não existem limites à criatividade.

web_design_quatro
VK logo

Idiot: Os vossos sites são um escape ao tradicional: intuitivos e de uma leitura completamente diferente. Como é o processo de desmaterialização de um site tradicional para um site à VK?
Visual Kitchen: O truque é pensar num site não como um site, mas sim como uma extensão natural de um projecto qualquer. Ou seja, existe um conceito base que é trabalhado e que depois se materializa em várias vertentes, que podem ser um site, um anúncio ou até um livro. É importante para nós que os nossos trabalhos tenham uma base conceptual bem delineada, assim é mais natural o conceito desdobrar-se em várias coisas diferentes. Depois, e no caso de um site, é preciso ter em consideração a experiência do utilizador e dar-lhe o que ele quer, também ajuda testar, testar e testar mais um pouco.

web_design_tres
VK Chefs por VK
Idiot: O vosso site, e o que desenvolveram para o Walk & Talk, foram galardoados nos CSS Web Design Awards, entre vários outros. Como é ver o vosso trabalho reconhecido além fronteiras?
Visual Kitchen: É sempre bom ver o nosso trabalho reconhecido, dá-nos uma confiança maior, eleva a fasquia para novos projectos e também reforça a confiança que os nossos clientes depositam em nós.

Idiot: Sabemos que no Walk & Talk o vosso trabalho não passou apenas pelo webdesign, mas sim por uma muito maior aventura. Como estão realmente envolvidos neste evento?
Visual Kitchen: Foi de facto uma aventura, em terras açorianas! A Visual Kitchen assinou todo o design de comunicação do festival em 2012, tendo criado todos os materiais gráficos do festival – programa, sinalética, viaturas, facebook e outros, os spots para a TV e para a web e também o website. É um projecto único em Portugal, e tivemos muito orgulho em fazer parte do movimento Walk&Talk.

Idiot: Para além de organizações culturais, também trabalham com empresas como o Pingo Doce e a RTP. Como é trabalhar para instituições tão diferentes? Como encaram, por vezes, limitações e visões completamente diferentes entre o cliente e o criativo?
Visual Kitchen: Temos que os encarar como clientes iguais, porque os seus objectivos são os mesmos. Ambos têm uma mensagem a passar, que pode ser mais ou menos comercial, e é o nosso trabalho fazer passar essa mensagem da forma mais memorável possível. Na indústria criativa, muitas vezes o cliente vem já com uma ideia muito concreta daquilo que quer e normalmente quer participar activamente na criação do projecto, o que para nós é óptimo, visto que encorajamos o cliente a estar presente e a desenhar connosco o que será a sua comunicação. As lutas entre clientes e criativos, bem como a luta entre copywriter e designer, account e criativo, são coisas do passado, vivemos no mundo da imagem, e todos podem contribuir para um projecto melhor, independentemente do seu background ou experiência profissional.

Idiot: Tocando num tema actual, a crise, afecta o mercado do webdesign?
Crise, que é isso? Come-se?
Visual Kitchen: Estão em constante inovação e numa incansável procura de novos meios, tecnologias e suportes. O que andam a preparar? Que novas receitas estão-nos a preparar na vossa cozinha?
Esta premissa é quase a espinha dorsal da VK, estamos neste momento muito focados em projectos no campo digital, como aplicações móveis, publicações digitais e outras surpresas que ainda estão no forno :)
Já agora, e visto que este mês (Dezembro) o mundo vai acabar, alguma mensagem que queiram deixar no ar?
Antes do mundo acabar, podem sempre passar na VK, na rua de Santa Catarina, para comerem umas rabanadas.

web_design_dois
Visual Kitchen Studio na Rua Santa Catarina

Texto: Nuno Dias