ALAN FITZPATRICK, O BRITÂNICO QUE BRINCA COM A PISTA DE DANÇA FALOU CONNOSCO POR TELEFONE PARA NOS CONTAR COMO É O DIA-A-DIA DESTE SENHOR DA DRUMCODE. LEIAM:

alan-fitz

Idiot: Como é pertencer a uma família tão grande como Drumcode?
Alan Fitzpatrick: E uma optima experiencia. Todos os artistas na Drumcode se dao muito bem e complementam-se uns aos outros. E sempre muito divertido tocar gigs juntos e ouvir a musica nova de todos. Respeitamo-nos uns aos outros e todos. nós somos artistas e produtores.

Idiot: Como é que te sentes quando tocas para um público portugês?
Alan Fitzpatrick: Todas as vezes que toquei em Portugal foram incriveis. O publico e sempre muito energetico e muito educado no que diz respeito ao tecnho e conhece as faixas. Sao um dos melhores publicos do mundo.

Idiot: Para finalizar a entrevista, conte-nos sobre os seus projetos futuros.
Alan Fitzpatrick: Tenho alguns projectos previstos para este ano. Nas producoes originais o proximo passo sera um EP em colaboracao com um amigo meu chamado Jon Gurd que saira em 8 Dice Sided. Em Maio saira o meu primeiro viril pela Drumcode Ltd chamado Eyes Wide Open. Tambem estou a planear colaborar com Gary Beck
e Joseph Capriati para o final do ano. Havera tambem alguns remixes feitos por mim ao longo dos proximos meses. Primeiro, um remix de um classico Cari Lekebusch, chamado Steady Motion e depois um remix para Ben Sims de uma faixa de seu album recente da Drumcode.

Idiot: Quem é Alan Fitzpatrick?
Alan Fitzpatrick: Sou um DJ e produtor de Southampton, no Reino Unido. Tenho vindo a produzir musica desde 2008 e editei principalmente pela Drumcode – incluindo o meu album de estreia “Shadows In The Dark” e muitos EPs – assim como a minha propria label, 8 Sided Dice, que esta quase com 50 lancamentos. Podem saber mais sobre mim em www.alanfitzpatrickmusic.com

Idiot: Fala-nos sobre o teu novo EP para a famosa label do Adam Beyer, a Drumcode?
DC91 Alan Fitzpatrick – Life Through Different Eyes.
Alan Fitzpatrick: Tenho de dizer que foi um lancamento muito importante para mim. Eu tentei fazer algo um pouco diferente com este EP e corri alguns riscos tambem usando os vocais, mas parece ter valido a pena. Foi tambem meu primeiro numero, um solo no Beatport e todo o feedback tem sido fantastico.

texto: João Cabral