SETEMBRO É SINÓNIMO DE RENTRÉE, SEJA PARA A ESCOLA SEJA PARA O TRABALHO. CHEGA AO FIM O TEMPO DE ÓCIO E REGRESSA O TRÂNSITO, O STRESS, O MAU HUMOR, O MARTÍRIO DAS SEGUNDAS-FEIRAS E A LUFADA DE AR FRESCO DOS FINS-DE-SEMANA. PARA MUITOS SETEMBRO É UM REGRESSO À ROTINA, MAS PARA NÓS QUE SOMOS IDIOTAS E TEIMAMOS EM SER UMA CARTA FORA DO BARALHO, SETEMBRO É, AINDA, ÉPOCA DE FÉRIAS, CALOR, BOA DISPOSIÇÃO E PREGUIÇA.

praia_dois

APESAR DO MÊS DE AGOSTO COMPELIR O POVO PORTUGUÊS A UM ATO MIGRATÓRIO SEMELHANTE AO DAS ANDORINHAS QUE VOAM ATÉ SUL PARA PASSAR OS MESES DE INVERNO, MUITAS PESSOAS PREFEREM ESPERAR ATÉ SETEMBRO PARA SE LIVRAREM DAS RESPONSABILIDADES E RUMAREM ATÉ DESTINOS MAIS QUENTES. DEPOIS DE AGUENTAREM, DURANTE UM MÊS, OS UPDATES INCANSÁVEIS DOS AMIGOS DO FACEBOOK COM FOTOS DE PRAIAS E BEBIDAS ESPIRITUOSAS TOMADAS AO PÔR-DO-SOL, CHEGA ALTURA DE DESFRUTAR AO MÁXIMO O TEMPO LIVRE, COM MAIS CALOR, MENOS GENTE E PREÇOS MAIS BAIXOS!

APROVEITANDO O ÚLTIMO MÊS DE TEMPERATURAS ALTAS, A IDIOT MAG VOLTOU A VESTIR A SUNGA E DESTA VEZ PERCORREU ALGUNS LUGARES DE PORTUGAL ONDE NÃO FALTA ÁGUA, SOL E PAZ.

praia_um

PARAÍSO DO SURF NA COSTA VICENTINA

O Alentejo está indubitavelmente associado a pequenas aldeias rurais, praticamente isoladas do mundo, a infindáveis hectares de campos agrícolas e ao calor abrasador. No entanto, na costa vicentina encontra-se um mundo totalmente diferente do que povoa o nosso imaginário sempre que pensamos naquela região.
Na fronteira entre o Algarve e o Alentejo encontra-se Aljezur, uma pequena vila situada a poucos quilómetros de praias com vistas paradisíacas. A mais popular, a praia da Arrifana, encontra-se numa aldeia com poucas casas, situadas no meio de montes verdes. Para chegar ao areal é preciso descer até ao fundo de uma falésia, tarefa mais fácil quando comparada com a viagem e regresso que intimida pelo caminho íngreme que se tem de percorrer. Contudo, existe uma carrinha de 9 lugares, apelidada de shuttle, que faz a travessia entre a estrada principal e a praia, gratuitamente.

Na hora de ponta é preciso esperar cerca de meia hora para conseguir lugar numa das travessias, mas a espera compensa quando a tralha a levar para a praia é demasiada. Uma vez no areal, as pranchas de surf e de bodyboard acumulam-se, assim como os turistas do norte da Europa, à espera das melhores condições para domar algumas ondas no mar. Em todas as praias encontram-se inúmeros surfistas independentes e escolas de surf em formação. Os fatos pretos e justos, as pranchas, a pele e o cabelo queimados pelo sol, são o cenário mais comum. Nos parque de estacionamento existem caravanas normais e outras improvisadas em carrinhas pão de forma e outros veículos mais antigos. Na escarpa em frente à praia encontram-se pequenas casas para aluguer de férias.
Qualquer uma das praias da região contém um cenário idêntico, no entanto, todas têm características que as tornam distintas umas das outras. Na praia de Monte Clérigo também se encontram pequenas casas para aluguer junto à praia, embora com um aspecto mais típico da arquitetura alentejana. No topo da colina chama a atenção a pequena capela cor-de-rosa, rodeada por palmeiras, que mais parece saída de um postal de qualquer cidade cubana.

As praias multiplicam-se por toda a costa, mas as mais interessantes encontram-se afastadas da população. A cerca de 17 quilómetros de Aljezur, no final de um caminho de asfalto esburacado e empoeirado, encontra-se a praia do Amado. Na extremidade esquerda da praia a Ribeira de Aljezur vai desaguar no Oceano Atlântico. Nesse local a água é mais quente, devido ao cruzamento de correntes e é mais fácil nadar, especialmente para as crianças, devido à fraca corrente e profundidade do rio. Durante a maré baixa é possível atravessar o rio a pé até à margem oposta. Aí encontra-se milhares de caranguejos escondidos nas rochas, que podem ser avistados facilmente. Naquele local a água da ribeira é límpida e salgada e ideal para mergulhar e nadar, assim que a maré começa a encher. Alguns aventureiros percorrem parte da ribeira numa canoa ou em cima de um prancha, remando até ao mar. A beleza da praia do Amado e o facto de ser um local óptimo tanto para surfar como para se banhar, sem ser atropelado por uma onda, confere-lhe o estatuto de uma das melhores praias da costa vicentina. A praia da Carrapateira também está longe da população, mas ao contrário da praia do Amado é mais propícia aos desportos radicais aquáticos do a qualquer outro tipo de ócio. Se o mar estiver congestionado de surfistas ou vento soprar demasiado, o melhor será aproveitar o tempo para explorar as extremidades da praia, onde a falésia, esculpida pela força das marés e do vento, contém pequenos afloramentos de rocha, cobertos por mexilhão e caracóis e rodeados por pequenas poças de água com pequenos peixes.

A par das praias Aljezur contém, ainda, alguns locais que vale a pena visitar, como o forte da cidade, as lojas de recordações no centro da vila e no mercado e o Pont’a Pé, o único bar aberto até mais tarde, onde toda a gente se encontra para ouvir um pouco de música e descomprimir depois de um dia a tostar ao sol.

Boas ondas, boa comida, descanso, isolamento… a costa vicentina é um pequeno paraíso que permite umas férias únicas e em modo 100% praia, com um orçamento muito reduzido.

OVOS MOLES E PRAIA

É certo que as melhores praias estão localizadas no sul do país, mas a norte também se encontram boas zonas costeiras, nos quais apenas se tem de vencer o medo da água fria. Na zona de Aveiro a escolha de praias é grande, a começar pela praia da Barra, que também é um sítio de eleição para a prática de surf e bodyboard.

Contudo, os melhores locais encontram-se mais distantes da cidade e da confusão. Em Mira, para além de uma praia extensa, encontra-se uma pequena e simpática povoação, com um lago no centro e um parque de campismo agradável, para quem tiver o orçamento mais limitado. De manhã, na praia, é possível observar a recolha da redes dos pescadores, abrindo o apetite para um peixe grelhado. Existe um número razoável de restaurantes, todos eles com peixe fresco e preços acessíveis.

comida_dois

Quem não apreciar peixe pode sempre deslocar-se até à Praia da Vagueira e comer um hambúrguer gigante no restaurante O Alemão, ou escolher qualquer outra refeição XL.

Para além da praia existem alguns locais na região, que vale a pena visitar. Costa Nova é uma aldeia com casas lindíssimas, com um estilo arquitetural típico da região, estando cobertas por listas brancas e de outra cor, na vertical ou horizontal. O centro de Aveiro é também um ponto de paragem, nem que seja apenas para comprar uns ovos moles ou comer uma tripa de chocolate. Por veze, aos domingos, acontece uma feira de velharias e antiguidades, que ocupa todas as ruas do centro histórico. Se a visita a Aveiro for durante a noite, o local ideal para ir é a zona onde se encontra o mercado do peixe, isto pela quantidade de bares que se encontram nas proximidades.

comida_um

BANHOS DE ÁGUA DOCE

A praia não é feita apenas de areia e água salgada, pois no interior do país também se encontram espaços ribeirinhos, onde é possível banhar-se, sendo que alguns deles têm mesmo vigilância como, por exemplo, a Praia da Congida, em Freixo de Espada à Cinta. Pelo rio Douro encontram-se várias praias fluviais, apesar de muitas delas não serem oficializadas como tal, nem vigiladas.

lago_um
lago_tres

Os locais mais belos encontram-se embrenhados na natureza, em afluentes do rio Douro, que atravessam as aldeias que vão surgindo pelos vales. Para descobri-los o melhor será recolher informações junto da população local, que conhece os melhores e mais seguros pontos de água. Nesses locais, além da vegetação abundante é de esperar encontrar vários insectos e águas repletas de pequenos peixes e, por vezes, inofensivas cobras de água.

Não é apenas no Douro que se encontram estes locais de grande beleza, muitas vezes localizados em sítios recônditos e acessíveis apenas com um veículo 4×4 ou a pé. O rio Âncora, que nasce na Serra de Agra e desagua em Vila Praia de Âncora (Caminha), proporciona vários locais para nadar, localizados em plena natureza, com pequenos lagos e cascatas naturais. Um dos locais mais populares é apelidado Pinchos e localiza-se na freguesia de Montaria (Viana do Castelo). A zona do Gerês também é rica em sítios utilizados como praia fluvial.

rio_um

Para além da paisagem única e quase celestial, estas praias de água doce têm a vantagem de se estarem localizadas em regiões onde existem outros atrativos como a gastronomia, os preços baixos e a convivência fácil com os seus habitantes.

Existem muitas outras praias e destinos com paisagens únicas, localizações privilegiadas e que não requerem um orçamento elevado. Portugal tem a vantagem de ser um país costeiro, o que proporciona condições óptimas para o veraneantes poderem descansar. As ondas podem não ser tão grandes como o Havai e a água pode não ser tão quente como no México, mas as paisagens são lindíssimas, a comida é deliciosa e o acolhimento do povo português continua ser algo que mais nenhum país consegue igualar.

Texto: Melanie Antunes