De Genebra da Suíça, estudante de artes gráficas da Bern School, ganhou vários prémios na Alemanha e Suíça pelos seus desenhos e filmes de animação. Começou a ser conhecido pelo seu filme promocional para a MTV Alemanha. Criou também os pacotes gráficos transmitidos durante a MTV European Music Awards de 2001. Também trabalhou para a imprensa, na Harper’s Bazaar, Annabelle e Allegra, bem como dirigiu vários filmes comerciais animados. Com o seu sentido de humor corrosivo, usa a imaginação bem como o seu nonsense para criar e recriar a sua fantasia através do 3D, fotografia, o desenho e cada técnica com um sentido muito apurado. Aqui segue a entrevista.

foto-francois-dois

“QUANDO ESTUDAVA (…) USAVA O DESIGN PARA MOSTRAR TODA A MINHA
RAIVA”

Idiot: Quais foram as suas influências como designer nos seus anos como aluno de design gráfico em Berna?
François Chalet: A minha maior influência foi a Grapus, um colectivo de design gráfico de Paris.Entretanto os quatro membros separaram-se e criaram os seus próprios gabinetes.
Um deles foi o “Nous travaillons ensemble”, onde passei três meses a estagiar em 1994. Gosto também do design (de cartazes) do oriente, especialmente de artistas como Henryk Thomaszewsky e Roman Cieslewicz, e de design político, como Staeck. Nos meus últimos anos de estudante fui também muito influenciado pelo trabalho do David Carson e dos Designers Republic.

Idiot: Refere que para si o design gráfico é uma maneira de contar uma história, da maneira mais optimista possivel. Como acha que o design na situação económica actual da Europa se pode tornar num agente de escape, ou mesmo de impulso ao combate à crise?
François Chalet: Um designer deve mostrar sempre o que sente e transmitir esses sentimentos e valores no seu trabalho. Quando ainda estudava era muito crítico perante a sociedade e usava o design para mostrar toda a minha raiva. Hoje em dia as minhas batalhas são mais sobre a diversidade e autoria no design. Não gosto deste design “mainstream” que nos enche de vazio.

Idiot: Trabalha actualmente para grandes empresas como a E-Bay, MTV, Harper’s Bazaar e Computer Weekly. Como é trabalhar para empresas tão influentes, e o que acha que uma forte aposta num design marcante pode fazer para empresas desse calibre?
François Chalet: Para mim é o mesmo criar postais de aniversário para amigos ou trabalhar para a MTV ou para o eBay. Uso o mesmo método de criação. Não sei exactamente o porquê de grande companhias me contactarem, geralmente há alguém lá, em posição de destaque, que viu algo que o tocou emocianalmente, e que decide chamar-me. Outra razão será provavelmente baseada no meu estilo ser simples e universal, tem tudo a ver com círculos, quadrados e linhas (e charme!).

“TEM TUDO A VER COM
CÍRCULOS, QUADRADOS E LINHAS (E CHARME!)”

foto-francois-tres

foto-francois-um
Idiot: Numa Europa em crise e num mercado saturado de designers, que mensagem ou conselho tem para estudantes recém licenciados na área?
François Chalet: Encontra a tua própria originalidade. Não copies o que vês, porque ao fazê-lo já estarás desactualizado, inventa o que será o amanhã! E segue o que sentes.

Idiot: Como vê o design gráfico daqui a 10 anos?
François Chalet: Neste momento está a acontecer uma enorme revolução, estão a surgir novos campos graças à internet, aos tablets e aos smartphones… Daí novos postos de trabalho relacionados com o design irão surgir.

Imagens: François Chalet